quarta-feira, 10 de junho de 2009

Pelas bandas do Uruguai (VI)

A volta foi de muito frio e chuva. Intermitentes, por vezes fininha quase neve, outras forte com rajadas de vento gélido. Começou as 7 da manhã, quando saímos de Montevidéo e não deu trégua.
Tássia e Igor dormiram boa parte do tempo (são 500km), e nem perceberam quando resolvemos pegar uma estrada vicinal rumo a San Gregorio do Polanco.
A cidadezinha de 3 mil habitantes ( sim, tudo isso!) às margens do Rio Negro, é ponto de convergência de pescadores internacionais. Mas ela se destaca mesmo - ao menos no nosso ponto de vista - é por ser um museu à céu aberto.
Os murais são as paredes das casas e prédios públicos da cidade.
Anos atrás, mas precisamente em julho de 1993, a cidade foi inaugurada como o Primeiro Museu Aberto de Artes Visuais do país e único na América Latina.
O trabalho de arte mural foi um projeto conjunto entre grupos de apoio à região, movimentos pelos direitos humanos, prefeitura e artistas plásticos da região e vindos de outros lugares do país e do mundo. Pelo que se narra, o projeto mobilizou a comunidade local e internacional na execução.
A impressão para quem chega no lugar é fantástica. A cidadezinha é um convite a percorrer cada rua à pé, ainda que o passar dos anos revelem a necessidade de restauração.
Claro que a chuva não nos deixou caminhar, além de envolver o lugar numa bruma cinza e fria, mas apenas ir na esquina e se deparar com Carlos Gardel sorrindo, na parede em frente, é algo que não tem preço.
Seguir e encontrar uma série de cabaninhas convidando para um veraneio (no caso, uma invernada?!) à beira do rio e com um trabalho desses exposto também não tem!
Não sei muito da história do lugar. Vou perguntar para minha vizinha uruguaia que se exilou no Brasil nos anos 70. A gente foge prá lá... depois eles fogem prá cá...depois prá lá de novo... e assim vamos indo!
Até entendi porque o Brizola fugiu para lá nos tempos duros - é como sair pelos fundos com todos os direitos assegurados pela soberania de cada país.
As fotos aqui foram catadas da internet e são do Mario Oscar Nahum
e no link tem os autores das pinturas. Nossa fotógrafa estava apagada...
mas a gente volta!
Em tempo, Rivera estava lotada de brasileiros, comprando enlouquecidamente nos freeshops, apesar da chuva e do frio. Infernal!
E nem os 12 casos de gripe suína na cidade parecem ter refreado a gana de consumir! Eu hem!

Marcadores:

1 Comentários:

Anonymous Rosana disse...

Améliaaaaaaaaaaaaaa,deu pau! E com vc!!!!
Meu pc tb se foi e to apanhando desse teclado aqui.Help!!!

11.6.09  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial












A chic é Rosana
Não usa pretinho
pra não dar pinta





Denis
coluna tranqüila
e coração ereto






Tássia
pin up e lambe-lambe
Lambe cria






Dorotéia
só escreve em italic







Paula Bolzan






Nívea Bona
Marca compasso
Vem pro abraço






Marina Victal
Mineira apresenta armas
Espada em punho








Melhores de 2008
Em 2009 eu vou...
Melhores de 2009
Em 2010 eu vou...
Melhores de 2010
Em 2011 eu vou...
Melhores de 2011
Em 2012 eu vou...
Melhores de 2012
Em 2013 eu vou...
Enviado Divino
Meu Primeiro Professor









    I Clichê


    II Clichê


    III Clichê


    IV Clichê


    V Clichê


    VI Clichê




      Assinar
      Postagens [Atom]