domingo, 24 de maio de 2009

Sexta-feira...

e não era 13, mas o dia amanhecera estranho e não porque mergulhado num fog quase londrino, daqueles que convidam para ficar em casa...observando o dia se abrir. ELA saiu cedinho porque tinha hora marcada - do tipo só consegue de um mês para outro -, e precisaria ao menos de meia-hora para percorrer os 24 km de casa ao centro, se o trânsito estivesse calmo e a cerração não muito espessa. Foi me dizendo que estava um tanto atrapalhada, sabia que iria esquentar ao meio-dia, foi trocar a roupa quente, saiu e nem tomou café. Uns metros após virar a esquina, dois carros batidos. Coisa leve, mas na quadra seguinte outro lhe cortou a frente. Pensou que o povo estava cego pelo nevoeiro, embora o carro dela fosse vermelho. O mesmo se repetiu na lombada eletrônica. Aí ELA sentiu que deveria redobrar a atenção porque tinha realmente algo estranho no ar. Foi por caminhos de menor tráfego, deu uma volta maior e mais lenta, e o relógio correndo. No centro, quis estacionar e quem diz que as 8 e 15 da manhã havia lugar vago? Fez a volta e a quadra seguinte também cheia. Todos resolveram tirar o carro da garagem no mesmo dia? Mais duas voltas e entrou num estacionamento pago. Enfim, corre para a consulta já atrasada. Ao atravessar a rua - na realidade uma ladeira onde os automóveis não rodam, se jogam rua abaixo -, correu de um palio azul marinho. Foi quando no meio do caminho sentiu um estirão na perna direita. Cãimbra? Parecia que o músculo tinha embolado e esticado em fração de segundos. A dor lacerante não poderia pará-la sob o risco de ser atropelada. Continuou correndo, ou melhor, fez os últimos metros num pé só e a perna encolhida. Não conseguia pisar. Fez todos os movimentos que sabia em caso de câimbra, e quem diz que voltou o músculo voltou ao lugar? Parecia ter vontade própria e ela se manifestava numa bola dolorida na barriga da perna. Ganhou massagem no consultório e nada da dor passar. Não ligou, mancou até o banco e os terminais fora do ar. Foi ligar para acertar com o cara da mudança e o celular tinha descarregado. Foi até a loja da amiga para carregar o bendito e estava fechada. E o carro longe no estacionamento e a panturrilha uma pedra. Passou na farmácia e comprou uma espécie de gelol. Pegou carona com o filho de outra amiga até o estacionamento. Sentou no carro e massageou a perna. O cheiro do mentol substituiu o velho Noa. Foi quando descobriu que estava sem a chave da porta da luz e que teria que esperar até ao meio-dia para poder abri-la para os homens levarem o material que trocaria de casa. E não poderia voltar porque tinha reunião as 14 horas. Resolveu subir os três lances de escada do apartamento e esperou por eles. Quando saíram, atirou-se na cama e ergueu as pernas. Dera para pensar que diabos estava a fazer da vida e quanto tempo teria para resolver tudo. Tinha pressa, porque o tempo urge. Foi trabalhar e esticou a perna sobre a gaveta do birô, que passou a servir de apoio. De vez em quando uma voltinha pra aliviar a dor nas costas. Passou o dia mancando, e descobriu que a torção era mais complicada do que pensara. A terapeuta a atendeu, massageou, curou e diagnosticou: inflexibilidade! Medo do novo! Apego ao passado! Mas passa... tá passando... . .

Marcadores:

2 Comentários:

Anonymous Rosana disse...

A perna inchada e dolorida não é nada! E o óculos de sombra italiano que ELA quebrou ao entrar no carro???!!!

25.5.09  
Blogger Ari disse...

Essa Dó, viu?... Fera!

2.6.09  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial












A chic é Rosana
Não usa pretinho
pra não dar pinta





Denis
coluna tranqüila
e coração ereto






Tássia
pin up e lambe-lambe
Lambe cria






Dorotéia
só escreve em italic







Paula Bolzan






Nívea Bona
Marca compasso
Vem pro abraço






Marina Victal
Mineira apresenta armas
Espada em punho








Melhores de 2008
Em 2009 eu vou...
Melhores de 2009
Em 2010 eu vou...
Melhores de 2010
Em 2011 eu vou...
Melhores de 2011
Em 2012 eu vou...
Melhores de 2012
Em 2013 eu vou...
Enviado Divino
Meu Primeiro Professor









    I Clichê


    II Clichê


    III Clichê


    IV Clichê


    V Clichê


    VI Clichê




      Assinar
      Postagens [Atom]