domingo, 17 de agosto de 2014

Desaprender

Desaprendi a escrever aqui. 
Quisera contar que meu tio de 91 anos chegou sozinho pela lateral da casa, num passo curto, mas firme e determinado. Veio ver meu pai, que com 85, está doente. Eles se emocionaram. Nós também.
 Amigos de uma vida inteira e ambos com a certeza de que a partida se aproxima. O diálogo girou em torno da constatação resignada dos que se foram. Muitos, quase todos. E eis que é a perspectiva da qual eles estão mais próximos. 
Sentaram ao sol, riram, falaram, relembraram. É quando o tempo é outro, e o sentido também. Tudo gira em torno da memória e das reminiscências. Tudo se torna relativo e, eles, flexíveis. Deve ser este o ciclo da existência. O sentido naquilo que conseguimos ser, e naquilo que ainda podemos mudar. Alguns se mostram melhores. Bom vivenciar isto.

3 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

que bonito, patroinha! beijos, paula

18.8.14  
Blogger denis rivera disse...

É. Alguns se mostram melhores. Quem vou visitar se chegar aos 91? Quem virá me ver nos meus 85?...

14.9.14  
Blogger Laura_Diz disse...

Belo texto. Abs

17.9.14  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial












A chic é Rosana
Não usa pretinho
pra não dar pinta





Denis
coluna tranqüila
e coração ereto






Tássia
pin up e lambe-lambe
Lambe cria






Dorotéia
só escreve em italic







Paula Bolzan






Nívea Bona
Marca compasso
Vem pro abraço






Marina Victal
Mineira apresenta armas
Espada em punho








Melhores de 2008
Em 2009 eu vou...
Melhores de 2009
Em 2010 eu vou...
Melhores de 2010
Em 2011 eu vou...
Melhores de 2011
Em 2012 eu vou...
Melhores de 2012
Em 2013 eu vou...
Enviado Divino
Meu Primeiro Professor









    I Clichê


    II Clichê


    III Clichê


    IV Clichê


    V Clichê


    VI Clichê




      Assinar
      Postagens [Atom]