sexta-feira, 19 de abril de 2013

DIA DO EX NAMORADO

Do primeiro todo mundo se lembra...
O meu, foi Celso. Celsinho. Moreno lindo. Sorriso escândalo. Meio vizinho. Acho que durou uns 3 meses. O namoro era no ônibus, na volta da escola e ele descia um ponto depois de mim pra não dar pinta.
Depois veio Teco (juro que não digo o nome dele). Sem detalhes. Durou 3 anos. De namoro no portão ou no alpendre, e de passeios de carro feitos com minha mãe. Ele tinha um Jeep (adoro até hoje), um karmann ghia e uma Winchester 44. Foi quem me ensinou a dirigir. A atirar não. Mas o moço queria casar e eu... tinha 18 anos... continuei a vida.
Teve Silvio. Violão na mão e voz de quem consegue o que quiser. Me ensinou a dançar.
Aí chegou o marido. O primeiro. Julio. Maravilhoso! Melhor homem pra minha melhor amiga. Me ensinou a ser. A me jogar. A não ter medo de fazer. Me ensinou metade do que eu sou (além de ter me ensinado a andar de moto e de ter me trazido pra morar em Salvador).
Gabriel. Segundo marido – o que faz com que até hoje eu diga que tive sorte: meus dois grandes amores foram meus maridos! (os outros amores não foram maridos). Com Gabriel aprendi que amor pode ser silencioso. Quieto. Calmo. E constante. Cem por cento presente. E que dinheiro não faz falta alguma. Depois virou esculhambação...
Tive um namorado que fazia tiro ao pombo. Pense...Não aprendi nada com ele.
Teve Dionísio. Curitibano charmoso sonho de qualquer sogra. Chic, milionário e básico. É! A combinação pode existir.
E Nelsinho. Aquela gracinha de paulista com cabelo de anjo que descia a serra fazendo pega com os amigos (não podia dar certo).
Teve o Soldado (como dizia Safira). Me ensinou a não querer o que não posso ter.
E o coronelzinho do Rio Grande do Norte. Com ele aprendi onde é o fim do mundo e como as mães podem errar na educação de um filho.

Como o próprio nome diz, é ex. E ex significa mais do que qualquer coisa, que nada é para sempre.
No caso dos ex, já escrevi há tempos no meu testamento:
“Aos homens que quis e tive, nem uma linha a mais.”

Marcadores:

4 Comentários:

Blogger Dna. Bona disse...

Showwww!!!!! Ótima reflexão!

20.4.13  
Blogger Maria do Carmo Viana disse...

CARAMBA!
A expressão latina "ex nunc" significa: de agora em diante, desde agora, a partir do momento em que, a partir daí, a partir desse momento, sem efeito retroactivo.É EX MESMO!
MARAVILHA DE TEXTO ADOREI!!!
dOS EX's GOSTEI MAIS DO TECO, ATÉ HOJE AMO UM JEEP.

25.4.13  
Blogger Denis disse...

Maria do Carmo... nem te conto do Teco...

25.4.13  
Anonymous aldema ( www.correndomundo.blogspot.com ) disse...

Neste 2013, em dezembro, faz 50 anos que casei a primeira vez.Queria uma festa de Bodas de Ouro! Queria somar todos os relacionamentos - não é assim que se faz com tempo de serviço para aposentadoria? - e fazer a festa.Mas meu segundo marido não gostou.Não sei por quê...Será, Denis querida, que Bodas de Ouro não pode ser de uma pessoa só? Poderá ter a participação de tantos quantos tornaram possível esse evento.

27.7.13  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial












A chic é Rosana
Não usa pretinho
pra não dar pinta





Denis
coluna tranqüila
e coração ereto






Tássia
pin up e lambe-lambe
Lambe cria






Dorotéia
só escreve em italic







Paula Bolzan






Nívea Bona
Marca compasso
Vem pro abraço






Marina Victal
Mineira apresenta armas
Espada em punho








Melhores de 2008
Em 2009 eu vou...
Melhores de 2009
Em 2010 eu vou...
Melhores de 2010
Em 2011 eu vou...
Melhores de 2011
Em 2012 eu vou...
Melhores de 2012
Em 2013 eu vou...
Enviado Divino
Meu Primeiro Professor









    I Clichê


    II Clichê


    III Clichê


    IV Clichê


    V Clichê


    VI Clichê




      Assinar
      Postagens [Atom]