domingo, 30 de setembro de 2012

Noitelua

É tarde da noite e como muitos por aí à fora, estou trabalhando na frente do computador. Um pouco mais cedo fui buscar uma inspiração, olhar o céu e me certificar da temperatura. Saí na área de serviço e a luz da lua ilumina a paisagem. É noite como antigamente, quando saímos no encalço do passo de quem seguia a nossa frente, sem precisar de lanternas. Noites como essa são boas de caminhar pelo campo.
Vi aquela luz toda e senti o vento azedinho e tive vontade de sair a caminhar. Mas senti falta dos vagalumes, dos grilos e dos sapinhos que dos charcos vigiam os passo dos caminhantes. Tudo é silêncio nesta parte da cidade, tudo deserto de areia seca e árvore nua. Estamos todos ilhados em janelas que não se abrem generosas. ficamos isolados por vidros embaçados. Fico olhando as luzes  vizinhas - somos uma ilha de refugiados, morando em gavetas amontoadas, achando uma benção viver próximo do trabalho, com olhos áridos de tanto fazer o que é preciso ser feito.
Respiro mais fundo e sinto os pulmões se enchendo do ar fino do frio e dou falta das estrelas e de meu corpo ser mais livre numa noite como essa. Escrevo sem parar. Desejo sem descanso a mesma rampa da garagem da casa dos meus avós, aquela em que puxava um tapete depois que o sol se punha e ficava bem quietinha em comunhão com todos os seres noturnos torcendo para que minha mãe me esquecesse ali, sob aquela luz tão linda do céu  e das estrelas todas. Conversas com sapos, corridas atrás do pisca-pisca dos insetinhos que fugiam para o banhado do terreno baldio.Que falta me faz um terreno baldio para ser de novo minha terra de investigação, meu mini mundo geográfico: com depressões, cordilheiras, grandes rios e planaltos. Aquelas plantas todas maiores que nossos corpos adolescentes - nossa amazônia privada. Os gritos histéricos quando víamos cobras!!
Tudo era no coletivo. Tudo era sinfônico. Agora só o dedilhar rompe a noite, as ondas de celulares, a internet, a tv - estamos todos sós. Conjugando a vida no singular, acanhados frente a esse mundo todo avesso. Sós e sós.
Sinto minhas costas gelarem, por um instante, sinto que estou deitada na frente da garagem, estendo a mão: abro e fecho os dedos... Tenho tudo.

Marcadores:

4 Comentários:

OpenID desaforos disse...

"ilha de refugiados", você diz, enquanto reclama da solidão. certo. mas qual o gesto concreto para rompê-la? cumprimente o vizinho, diga oi para um estranho, puxe assunto, converse. pode ser que funcione. os amigos sumiram? viajaram? mudaram-se? estão por aí, certeza, à espera de que alguém tome a iniciativa. pois tome a iniciativa, paula bolzan.

paulo paniago

4.10.12  
OpenID desaforos disse...

"ilha de refugiados", você diz, enquanto reclama da solidão. certo. mas qual o gesto concreto para rompê-la? cumprimente o vizinho, diga oi para um estranho, puxe assunto, converse. pode ser que funcione. os amigos sumiram? viajaram? mudaram-se? estão por aí, certeza, à espera de que alguém tome a iniciativa. pois tome a iniciativa, paula bolzan.

paulo paniago

4.10.12  
Blogger Dna. Bona disse...

Que lindo mulher!! É bem assim, às vezes a gente sente aquela falta do que foi, do que era e daí descobre que cabe somente a nós deitar no chão de novo, do mesmo jeito e ver as estrelas. O cenário talvez não possa ser o mesmo, mas dentro, vc pode ativar a menininha do passado, não é?

4.10.12  
Blogger Denis disse...

Que coisa deslumbrante! Emocionante! Amei! (vivi do lado de um terreno baldio... e na minha casa tinha "alpendre" com cadeiras de madeira...)

2.11.12  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial












A chic é Rosana
Não usa pretinho
pra não dar pinta





Denis
coluna tranqüila
e coração ereto






Tássia
pin up e lambe-lambe
Lambe cria






Dorotéia
só escreve em italic







Paula Bolzan






Nívea Bona
Marca compasso
Vem pro abraço






Marina Victal
Mineira apresenta armas
Espada em punho








Melhores de 2008
Em 2009 eu vou...
Melhores de 2009
Em 2010 eu vou...
Melhores de 2010
Em 2011 eu vou...
Melhores de 2011
Em 2012 eu vou...
Melhores de 2012
Em 2013 eu vou...
Enviado Divino
Meu Primeiro Professor









    I Clichê


    II Clichê


    III Clichê


    IV Clichê


    V Clichê


    VI Clichê




      Assinar
      Postagens [Atom]